A poluição no Rio Araranguá preocupa

Em uma tarde de coleta, servidores e alunos do Campus Araranguá retiraram cerca de 400kg de lixo do Rio Araranguá, o principal da cidade. Tem de tudo: sofá, bola de futebol, monitor de microcomputador… É tanto lixo que deu até para criar um boneco com cerca de 2,5m de altura com parte do que foi retirado do rio. O boneco simboliza o homem, responsável pela poluição.

A coleta faz parte de um projeto do curso de licenciatura em Física do Campus Araranguá e que está sendo mostrado para os visitantes na Semana da Ciência e Tecnologia do campus, que começou na quarta, dia 20, e vai até sexta-feira, 22. Parte dos materiais recolhidos do rio está exposta logo na entrada do campus.

O estudante Joel Borba da Rosa, da terceira fase do curso de Física, conta que o objetivo é consicentizar a população de Araranguá a não poluir mais o rio, que percorre toda a cidade e tem sua foz próxima à famosa praia do Morro dos Conventos. “As pessoas não percebem, mas nas margens dos rios tem muito lixo”, conta Joel.

Uma ideia sobre “A poluição no Rio Araranguá preocupa

  1. lixo,lixo,lixo…..alem das pessoas que sao o lixo da sociedade,que permitem a poluiçao descabida de um rio tao belo como o rio ararangua.em treviso as minas continuam fazendo montanhas de rejeitos de carvao ao lado do rio mae luzia,que e um dos afluentes do rio ararangua.a policia ambiental se preocupa em tirar tarrafas dos pescadores,eles deveriam era cuidar dos grandes,que estao acabando com a vida do rio.denuncia ja fiz ao montes,nao adianta so dao desculpas.falta e homems de coragem nos comandos.a preucupaçao e tao grande com a natureza que o governo federal permitio a construçao de uma termo eletrica em treviso que acabara de vez com o rio ararangua,alem de financiar 95% do valor com o dinheiro do fundo de reserva dos pensionistas.so posso dizer que nesta hora sinto vergonha de ser brasileiro e principalmente um ser humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *