SNCT em Caçador terminou com atividades sobre acessibilidade

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Campus Caçador do IF-SC teve em seu último dia (19, quarta-feira) atividades com o tema acessibilidade. Houve apresentação do coral da Associação dos Pais e Amigos dos Surdos (Apas), oficina de língua brasileira de sinais (libras) e palestra sobre tecnologias assistivas para cegos.

O coral da Apas, uma ONG que atende cerca de 50 surdos na região do Vale do Rio do Peixe (Caçador e cidades vizinhas), existe há 14 anos. Os 15 coralistas que se apresentaram no Campus Caçador do IF-SC interpretaram três canções em libras. Depois, foi ministrada uma oficina de Libras por Elói, um dos integrantes da Apas, que ensinou o alfabeto, números e sinais usados pelos surdos para identificar cores, animais e alimentos. Também divertiu o público de cerca de 100 pessoas com piadas contadas em português e interpretadas em libras.

Depois, a professora de educação especial Ivonete Badlhuk e o estudante cego Júnior Correa de Mello ministraram palestra sobre tecnologias assistivas e capacitação para deficientes visuais. Ivonete falou sobre experiências com a educação de deficientes visuais na região de Caçador e Júnior apresentou softwares que facilitam para eles o uso do computador. O estudante deu, ainda, um depoimento sobre como adaptou-se à nova realidade depois de ficar cego, aos 15 anos (hoje tem 18). “Você tem que adaptar-se e aprender a viver como cego e não como um coitado. A professora Ivonete e minha família ajudaram bastante a não me considerar um coitado” destaca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *