Mercado de vinhos é tema de palestra na SNCT em Urupema

O mercado e o potencial das regiões de altitude para a produção de vinhos foi tema da palestra do agrônomo Alberto Fontanella Brighenti, mestre em Produção Vegetal e doutorando em Recursos Genéticos Vegetais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na SNCT no Câmpus Urupema.

palestra_vinhosAlberto apresentou dados que mostram o panorama das produções mundial e brasileira de uva e vinho. O Brasil é o 15º produtor mundial de uva, sendo o Rio Grande do Sul o estado com maior produção dentro do País, seguido por Pernambuco e São Paulo. Da produção brasileira de uva, 80% vai para processamento (fabricação de bebidas – principalmente sucos e vinhos -, vinagres e geleias, por exemplo). A principal bebida fabricada  partir de uva no Brasil é o vinho de mesa, mas observa-se, de acordo com Alberto, aumento na produção de suco e espumante.

O Brasil ainda é um país que consome pouco vinho, se comparado com os países europeus e mesmo alguns latino-americanos, como Chile, Uruguai e Argentina: são pouco mais de 2 litros per capita por ano. O recordista mundial é Luxemburgo, país da Europa com 500 mil habitantes, com mais de 50 litros per capita por ano.

O estado brasileiro com maior consumo per capita de vinho é o Rio de Janeiro, que, junto com São Paulo, respondem por metade do consumo nacional. Os sete estados das regiões Sul e Sudeste, somados, detêm 80% do consumo brasileiro. “Ainda há os mercados do Norte e Nordeste a ser explorados”, comenta Alberto.

A tendência que se observa no Brasil, de acordo com o palestrante, no que diz respeito ao consumo de vinho é de uma maior procura por informações e cursos sobre tipos de vinho, criação de confrarias, troca da cerveja pelo vinho e campanhas de promoção do vinho nacional.

Alberto mostrou, ainda, as diferentes variedades de uva usadas na produção de vinho, suas características e adaptação a climas e solos, destacando cabernet sauvignon, merlot, pinot noir, syrah, sangiovese, malbec, tannat, chardonnay, sauvignon blanc, moscato giallo, gewürztraminer, bordô, isabel (a mais plantada no Brasil), niágara e goethe (muito cultivada na região Sul de Santa Catarina, especialmente em Urussanga).

Robô manipulador é apresentado durante a SNCT em Jaraguá

A mais recente aquisição do Câmpus Geraldo Werninghaus, o robô manipulador ABB, foi um dos destaques da SNCT. Apresentado à comunidade do câmpus pelos servidores Anna Baasch e Fábio Meinchem, o robô assemelha-se a um braço mecânico e é cada vez mais utilizado em linhas de montagem. O objetivo é que os estudantes do câmpus aprendam a utilizar o robô durante as aulas e já estejam capacitados para lidar com essa tecnologia caso busquem uma vaga em empresas que utilizam esses robôs.

Segundo Meichem, além de proporcionar um diferencial na formação dos alunos, o robô deve ser utilizado para integrar os cursos das áreas de mecânica e eletrotécnica. “Por meio do ABB será possível realizar projetos integrados entre os cursos, inclusive entre os cursos de nível técnico e superior”, conta.

O robô, que custou 150 mil reais ao IFSC, também foi adquirido por outros câmpus da instituição. Clique aqui e conheça o robô ABB em funcionamento!

Importância da atividade física é tema de palestra no Câmpus Geraldo Werninghaus

gw qualidade vida (2)Na noite de terça-feira (22), o Câmpus Geraldo Werninghaus promoveu a palestra “A importância da atividade física em nossas vidas”, ministrada pelo coordenador de Atividade Física do Sesc, Kleber Rangel Corrêa Junior. Entre os assuntos abordados estiveram os tipos de atividade física (aeróbica, de resistência e força, de equilíbrio e elasticidade), os benefícios do exercício físico para a saúde, o que caracteriza o sedentarismo e os riscos associados à falta de atividade física. Durante a palestra, os alunos do câmpus realizaram perguntas relacionadas, principalmente, aos tipos de atividade física e ao treinamento de força.

gw qualidade vida (1)Na quinta-feira (24), a câmpus recebeu novamente a palestra sobre atividade física, mas desta vez no período vespertino e ministrada pelo professor do Sesc, Thiago Millet.

Câmpus Jaraguá do Sul termina SNCT com ginástica aberta à comunidade

jaragua ginastica snct 097Para encerrar a 10ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), o Câmpus Jaraguá do Sul promoveu, na sexta-feira (25), uma aula de ginástica aberta à comunidade. Além de alunos e servidores, quem passava em frente ao câmpus também foi convidado a participar da atividade. Além do exercício físico, também foram oferecidos alongamentos e avaliações físicas.

O evento de encerramento foi realizado em parceria com a Fundação Municipal de Esportes de Jaraguá do Sul, a qual montou um palco sob a tenda que estava montada em frente ao câmpus. A professora Maria, da Fundação, animou os participantes e comandou uma aula da modalidade “Combat”, uma modalidade de ginástica que mistura música e movimentos de artes marciais.

Confira, abaixo, as fotos da atividade de encerramento da SNCT no Câmpus Jaraguá do Sul.

jaragua ginastica snct 070 jaragua ginastica snct 067 jaragua ginastica snct 086 jaragua ginastica snct 094 jaragua ginastica snct 117

Último dia de colóquios destaca o atletismo e a história do esporte

jaragua snct 026Na quinta-feira (24), o Câmpus Jaraguá do Sul promoveu o colóquio “História e evolução do esporte, com a participação do ex-técnico de atletismo e atual colunista do jornal O Correio do Povo, José Augusto Caglioni. O convidado trouxe sua experiência na área esportiva, relatando o funcionamento de centros de treinamento na Alemanha e a evolução da medicina esportiva e do treinamentos do esporte.

Caglioni relembrou, também, da sua experiência na atletismo e que o treinamento que realizava como técnico o levou ao tetracampeonato brasileiro do salto com barreiras feminino com a atleta Cornélia Caglioni, a qual atualmente é sua esposa. jaragua snct 046Cornélia também participou do colóquio realizado no câmpus.

O ex-técnico abortou, ainda, conhecimentos sobre tipos de treino, lesões esportivas e outras modalidades do esporte, como o futebol. Ao final da palestra, Caglioni sorteou cinco dos seus livros entre os participantes do colóquio.

Ainda na quinta-feira, o Câmpus Jaraguá do Sul realizou o colóquio “Inventivos ao esporte no município de Jaraguá do Sul”, com a participação de Jean Lautprecht, e na quarta-feira (23) ocorreu o colóquio “Tecidos esportivos”, com Everaldo Tavares Braga.

jaragua snct 049

Da esq. para a dir.: José Augusto Caglioni, Cornélia Caglioni (tetracampeã brasileira de salto com barreiras), Nilson Franz (ex-atleta de Jaraguá do Sul e esposo da servidora Ivana Boettcher) e Toto (ex-jogador de futebol do Cruzeiro e do Flamengo nos anos 90).

Fotos do projeto “O futuro começa hoje!”

Confira, abaixo, algumas fotos da visita realizada por alunos do 9º ano da Escola Municipal Marcos Emílio Verbinnen ao Câmpus Geraldo Werninghaus, que conheceram o câmpus e participaram de aulas experimentais das áreas de mecânica e eletrotécnica. A iniciativa faz parte do projeto “O futuro começa hoje!”, que tem o objetivo de estimular o interesse de estudantes do ensino fundamental sobre as áreas dos cursos profissionalizantes do câmpus.

Clique aqui e leia mais sobre a visita dos alunos ao IFSC.

gw futuro comeca hj pan (2)gw futuro comeca hj DSC04836 gw futuro comeca hj panoramica-alunoserobo

Atriz conta histórias no Câmpus Geraldo Werninghaus

gw contacao DSC04872A cultura também tem lugar durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. No Câmpus Geraldo Werninghaus, a atriz Sandra Baron realizou uma contação de histórias na sexta-feira (25). Com o nome “Tia Tana do Dercino”, a apresentação foi realizada para alunos e servidores do câmpus, que interagiram com a atriz durante a peça.

Para conhecer um pouco mais sobre a atriz e sua companhia, clique aqui e acesse o blog da Cia. Sandra Baron.

gw contacao DSC04889

Campeonato de lançamento de foguetes chama a atenção do público

SONY DSCUm campeonato de lançamento de foguetes foi a atração que mais chamou a atenção do público durante a SNCT do Câmpus Araranguá. É claro que não estamos falando de foguetes espaciais, mas sim de projéteis feitos com garrafa pet, que chegam a atingir mais de 100 metros de distância.

A fabricação do foguete é simples e os próprios participantes podiam confeccionar os seus no local para participar das demonstrações. Os competidores já trouxeram seus foguetes prontos.

A atividade nasceu quando cinco alunos do curso técnico integrado de Eletromecânica ficaram em dependência na disciplina de Física. Foi então que o professor Humberto Oliveira resolveu propor uma atividade de recuperação diferente, que faria os estudantes realmente estudarem e aplicarem o que aprendessem na prática. Devido à proximidade com o Clube de Astronomia de Araranguá, formado por alunos e servidores do câmpus, não foi difícil escolher um tema adequado.

SONY DSCTendo como base nos vídeos publicados no canal da Olimpíada Brasileira de Astronomia, os alunos reproduziram um kit lançador de foguetes e ainda o aperfeiçoaram. “O nosso modelo tem a trava de lançamento, que permite um controle maior do equipamento”, conta o professor Humberto.

SONY DSCDepois de pesquisar e construir o modelo, os alunos fizeram um trabalho de divulgação nas escolas da região, ensinando os alunos a construírem seus foguetes e convidando outros estudantes a participarem da SNCT. O resultado? Cerca de 50 competidores, várias demonstrações e dois dias inteiros de diversão e integração entre os estudantes. “A Física é uma disciplina que tende a afastar os alunos. Quando se consegue despertar o interesse deles de alguma forma, o aprendizado se dá de maneira mais tranquila e muito mais eficiente”, avalia Humberto.

O aluno Rafael Ramos Maciel do curso superior de licenciatura em Física está desenvolvendo seu TCC utilizando o foguete no processo de aprendizagem.

Para conferir o ranking com as distâncias alcançadas por cada participante, clique aqui.

Câmpus Caçador participa de evento da SNCT com apoio do Sebrae

CaçadorAlunos e professores do curso técnico e dos cursos de qualificação em Vestuário do câmpus Caçador, além do diretor-geral, Albertinho Della Giustina, participaram de um seminário promovido pelo Sebrae na noite de quarta-feira (23). O evento, que aconteceu na sede da Associação Empresarial de Caçador (ACIC), fez parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia, com apoio do Sebrae e do IFSC.

O Seminário contou com duas palestras: Estratégia de Coleção – Calçados e Confecções, com a consultora do Instituto By Brasil, Tatiana Souza, e Case Daniela Tombini, com o empresário José Carlos Tombini, proprietário da confecção caçadorense Daniela Tombini.

Segundo Tatiana Souza, o Instituto By Brasil promove pesquisas e presta serviços de consultoria nas áreas de Design, Inovação e Sustentabilidade. A palestrante falou sobre estratégias para promover uma coleção na área têxtil e calçadista, abordando temas como planejamento, cronograma, inspiração e tendências.

Caçador 02Já o empresário José Carlos Tombini falou sobre o início da empresa, em 1993, quando ele e sua esposa decidiram inovar e apresentar à região de Caçador, com economia predominantemente baseada no ramo madeireiro, a área da confecção. Hoje, 20 anos depois, a empresa fabrica moda íntima para o mercado nacional e também exporta para todos os países do Mercosul.

As professoras do IFSC Danielle Ullrich e Daiane Toledo, consideram que o evento foi de grande valia para os alunos do câmpus, uma vez que o Instituto incentiva seus alunos a ser empreendedores. “A inovação é um dos pontos-chave para quem se interessa em ser empresário”, diz Danielle, que dá aulas na área de administração no câmpus Caçador.

SNCT supera expectativas no Câmpus Araranguá

SONY DSCDurante dois dias, o Câmpus Araranguá recebeu cerca de 15 escolas da região, que totalizaram mais de mil pessoas circulando pelas salas de aula, laboratórios e áreas externas. As integrantes da comissão organizadora da SNCT do câmpus, Marília Siebert e Ana Paula Pruner, confessam que não esperavam um número tão grande de visitantes.

“Apesar de termos tido pouco tempo para organizar, a semana superou nossas expectativas. O bom é que todos eles acabam virando multiplicadores, porque contam para os pais e os amigos tudo o que viram aqui”, avalia Ana Paula. Para Marília, o envolvimento dos alunos do câmpus foi fundamental para que tudo corresse bem. “Eles ajudaram muito, principalmente os alunos dos cursos integrados. Eles praticamente cuidaram de toda a logística das visitas sozinhos”, conta.

SONY DSCPara o próximo ano, o câmpus já planeja algumas mudanças. “As palestras e os minicursos desse ano foram mais técnicas, voltadas principalmente para os nossos alunos. Para o ano que vem podemos pensar em algumas atividades mais gerais, voltadas para o público externo”, avalia Marília.