Projeto integrador desenvolve linguiça com maior valor nutricional

muller_projeto_coelhoAlunos do curso técnico concomitante de Agroindústria do Câmpus São Miguel do Oeste desenvolveram um tipo de linguiça com maior percentual de proteína e menos colesterol, portanto mais saudável para o consumo, à base de carne de coelho. A carne desse mamífero tem 25% de proteína e 500% menos colesterol – gordura ruim – na comparação com a carne bovina. “Nós fizemos um estudo e constatamos que embora ainda tenha pouca produção de carne de coelho na região, há um crescimento na produção, então resolvemos propor um produto novo para o mercado”, explica Valdemar Muller, que desenvolveu o projeto “Elaboração de linguiça de carne de coelho light” com as colegas Tiali Petri Rosset e Vanessa Breier.

coelhoNa linguiça light, a gordura de porco é substituída por óleo vegetal, para que o produto mantenha as características de uma linguiça mas ganhe valor nutricional. Além do desenvolvimento da receita em si, o projeto integrador envolveu também os procedimentos necessários para o lançamento de um produto no mercado, desde aspectos relacionados ao preparo e manipulação até estudos de mercado. Com a participação de voluntários, a equipe já realizou a análise sensorial do produto experimental, na qual os provadores avaliam características como sabor e textura do alimento. A intenção dos alunos é lançar o produto no mercado local.