Curso em Canoinhas dá nova perspectiva para catadores de material reciclável

O trabalho duro nas ruas de Canoinhas, os riscos de recolher material reciclável em uma cidade que não costuma separar o lixo e o baixo valor pago pelo produto têm tudo para ficar no passado para 20 trabalhadores que estão fazendo o curso “Operador de Tratamento de Resíduos” pelo Pronatec.

Professores do curso, alunas e parceiros mostran no estande como será o trabalho na usina de reciclagem.

Professores do curso, alunas e parceiros mostran no estande como será o trabalho na usina de reciclagem.

Os resultados desta iniciativa do Câmpus Canoinhas estão sendo mostrados durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), assim como a parceria com a prefeitura do município.

No curso, os alunos, que já trabalham há anos como catadores de material reciclável, têm aulas sobre a importância de usar equipamentos de proteção individual (EPI), como luvas, sapatos fechados e óculos, sobre a separação adequada dos materiais e sobre como podem se unir em uma cooperativa para garantir uma renda maior.

Ensinamentos que fizeram Maria Claudete de Oliveria (44) a fazer planos para o futuro. Há 18 anos ela recolhe material reciclável quase todos os dias com uma carroça. Com a venda de papelão, plásticos e vidro, consegue de R$ 60,00 a R$ 80,00 por mês. “Não pagam mais que isso”, diz. Mas no curso ela aprendeu como funciona uma cooperativa e como isso pode ajudá-la a aumentar a renda. “São mais pessoas juntas para vender e negociar. Vai ser bom né?”

O curso começou em julho e segundo a supervisora Twisa T. B. Nakazima, até o fim do ano eles estarão capacitados para montar a cooperativa e trabalhar na usina de reciclagem que está sendo construída pela prefeitura. “Eles ficarão na usina, para onde o caminhão vai levar os recicláveis recolhidos na cidade. Em uma esteira, vão fazendo a separação de acordo com o tipo e cor de cada material. Tudo com os equipamentos de proteção necessários, em um ambiente totalmente adequado, com picador de papel, prensas, triturador de vidro e balança”, afirma. O material separado será vendido e o valor dividido entre os trabalhadores.

Lixo Zero

Enquanto trabalhadores são capacitados, o município de Canoinhas começa a conscientização dos moradores. Segundo Márcio Werka e Alvanir Pacheco, da Secretaria do Meio Ambiente, as informações sobre a importância da separação do lixo e como ela deve ser feita estão sendo levadas primeiramente para as escolas. E um cronograma com as datas que o caminhão fará a coleta seletiva em cada bairro também está sendo divulgada.

A expectativa da Secretaria é que a usina comece a operar em janeiro, separando cerca de 20 a 30 toneladas de material reciclável por semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *