Projeto em Canoinhas desenvolve surimi de tilápia

A carne de pescado moída, processada e rica em proteínas é conhecida como surimi e é a base do kani – amplamente utilizado na culinária japonesa. Geralmente é feito com pescado branco, mas em Canoinhas um projeto de pesquisa está desenvolvendo surimi de tilápia.

Alunas Karine Packer e Luana Farias com o professor Luciano Malfatti.

Alunas Karine Packer e Luana Farias com o professor Luciano Malfatti.

O peixe, originário da África, teve fácil adaptação na região e é muito consumido. “Mas quando a indústria faz os filés do pescado, sobra muita carne na espinha. O projeto pretende propor uma melhor utilização desta carne”, afirma a estudante Karine Packer, do Curso Técnico de Agroindústria do Câmpus Canoinhas.

A pesquisa foi apresentada durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) por Karine e pela colega Luana Farias, que têm como orientador o professor Luciano Malfatti. Elas explicam que a carne moída do pescado passa por processos de lavagens para que as proteínas não-funcionais sejam retiradas da massa. “Só ficam as proteínas boas, que representam de 66 a 77% do total”, afirma Luana.

A retirada de alguns componentes também garante ao produto maior elasticidade, menos odor e sabor mais suave. Com o surimi de tilápia, as estudantes propõe fazer linguiça e patê.

Uma ideia sobre “Projeto em Canoinhas desenvolve surimi de tilápia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *