Campeonato de lançamento de foguetes chama a atenção do público

SONY DSCUm campeonato de lançamento de foguetes foi a atração que mais chamou a atenção do público durante a SNCT do Câmpus Araranguá. É claro que não estamos falando de foguetes espaciais, mas sim de projéteis feitos com garrafa pet, que chegam a atingir mais de 100 metros de distância.

A fabricação do foguete é simples e os próprios participantes podiam confeccionar os seus no local para participar das demonstrações. Os competidores já trouxeram seus foguetes prontos.

A atividade nasceu quando cinco alunos do curso técnico integrado de Eletromecânica ficaram em dependência na disciplina de Física. Foi então que o professor Humberto Oliveira resolveu propor uma atividade de recuperação diferente, que faria os estudantes realmente estudarem e aplicarem o que aprendessem na prática. Devido à proximidade com o Clube de Astronomia de Araranguá, formado por alunos e servidores do câmpus, não foi difícil escolher um tema adequado.

SONY DSCTendo como base nos vídeos publicados no canal da Olimpíada Brasileira de Astronomia, os alunos reproduziram um kit lançador de foguetes e ainda o aperfeiçoaram. “O nosso modelo tem a trava de lançamento, que permite um controle maior do equipamento”, conta o professor Humberto.

SONY DSCDepois de pesquisar e construir o modelo, os alunos fizeram um trabalho de divulgação nas escolas da região, ensinando os alunos a construírem seus foguetes e convidando outros estudantes a participarem da SNCT. O resultado? Cerca de 50 competidores, várias demonstrações e dois dias inteiros de diversão e integração entre os estudantes. “A Física é uma disciplina que tende a afastar os alunos. Quando se consegue despertar o interesse deles de alguma forma, o aprendizado se dá de maneira mais tranquila e muito mais eficiente”, avalia Humberto.

O aluno Rafael Ramos Maciel do curso superior de licenciatura em Física está desenvolvendo seu TCC utilizando o foguete no processo de aprendizagem.

Para conferir o ranking com as distâncias alcançadas por cada participante, clique aqui.

SNCT supera expectativas no Câmpus Araranguá

SONY DSCDurante dois dias, o Câmpus Araranguá recebeu cerca de 15 escolas da região, que totalizaram mais de mil pessoas circulando pelas salas de aula, laboratórios e áreas externas. As integrantes da comissão organizadora da SNCT do câmpus, Marília Siebert e Ana Paula Pruner, confessam que não esperavam um número tão grande de visitantes.

“Apesar de termos tido pouco tempo para organizar, a semana superou nossas expectativas. O bom é que todos eles acabam virando multiplicadores, porque contam para os pais e os amigos tudo o que viram aqui”, avalia Ana Paula. Para Marília, o envolvimento dos alunos do câmpus foi fundamental para que tudo corresse bem. “Eles ajudaram muito, principalmente os alunos dos cursos integrados. Eles praticamente cuidaram de toda a logística das visitas sozinhos”, conta.

SONY DSCPara o próximo ano, o câmpus já planeja algumas mudanças. “As palestras e os minicursos desse ano foram mais técnicas, voltadas principalmente para os nossos alunos. Para o ano que vem podemos pensar em algumas atividades mais gerais, voltadas para o público externo”, avalia Marília.

Câmpus Araranguá recebe mais de mil visitantes durante a SNCT

SONY DSCO movimento foi grande no Câmpus Araranguá do IFSC durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Entre os dias 23 e 24, cerca de mil pessoas visitaram o câmpus, a maioria alunos de escolas da região. Os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer todos os laboratórios, onde são realizadas as aulas práticas, e visitaram os estandes, que exibiam trabalhos dos cursos ofertados pelo câmpus.

A professora de Ciências Marisa Tramontim trouxe cerca de 30 alunos da 8ª série da EEB Professora Julieta Aguiar Bertoncini para a visita. Ela já conhecia a parte administrativa do câmpus e ficou impressionada com a qualidade dos laboratórios. “Esse contato com a atividade prática é muito importante na formação do aluno. Dá até vontade de voltar a estudar”, disse.

SONY DSC

Alunos da EEB Bernardino Sena Campos

Já a professora Celda Souza, da EEB Professora Maria Garcia Pessi, veio acompanhar um grupo de 60 alunos. Segundo ela, a SNCT é uma ótima oportunidade para os alunos conhecerem as opções disponíveis para eles. “É uma proposta interessante porque os alunos querem informação sobre os cursos do IFSC. E aqui eles podem tirar todas as dúvidas”, avalia.

Mesa-redonda discute a relação entre atividade física e saúde

Na manhã desta quinta-feira (24), os participantes da SNCT do Câmpus Araranguá acompanharam a mesa-redonda “Ciência, saúde e esporte”, que contou com a participação da professora do IFSC Carmem Beck e do médico da Faculdade de Medicina da Uniplac, Rafael Gilson. A mediação ficou por conta do professor Mateus Colares.

SONY DSCRafael fez uma apresentação sobre o panorama geral da saúde no Brasil e no mundo, apresentando índices – como natalidade, expectativa de vida e mortalidade – e a evolução histórica deles. Já Carmem apresentou as mudanças que ocorreram nos padrões de atividade física que, segundo ela, podem ser observadas por meio de quatro domínios: deslocamento, atividades domésticas, trabalho e lazer. “Pode-se notar uma grande diferença nessas quatro atividades. As formas como as executamos mudaram muito, e essas mudanças fazem com que as pessoas façam menos esforço, menos atividade física”, explica.

Segundo a professora, essas mudanças podem ser atribuídas a vários fatores, como o crescimento econômico, o ambiente favorável ao transporte motorizado, a baixa percepção de segurança, a urbanização, os dispositivos mecânicos utilizados no trabalho e as relações pessoais.

Atividade física e longevidade

Você sabe qual a quantidade de atividade física necessária para manter a saúde em dia? Durante a mesa-redonda “Ciência, saúde e esporte”, realizada no Câmpus Araranguá, a professora do IFSC Carmem Beck explicou que o ideal é que se pratique, no mínimo, 150 minutos de atividade física por semana. Cerca de metade da população brasileira não atinge essa marca.

SONY DSCOutra informação importante trazida por Carmem durante o evento foi de que, passar de quatro a oito horas por dia sentado, aumenta o risco de morte, independente da prática de atividade física. “Esses dados ainda estão sendo estudados, mas já se sabe que há relação. Por isso, é importante que pessoas que trabalhem sentadas levantem e caminhem com frequência”, aconselha a professora.

Por fim, Carmem deixou uma dica para o público, formado basicamente por adolescentes. “Façam no mínimo 60 minutos de atividade física por dia e, se possível, acrescentem sessões de fortalecimento muscular três vezes por semana. Isso trará uma série de benefícios que serão notados agora e para o resto de suas vidas”, disse.

Palestra aborda a prática da cópia na moda brasileira

“A moda precisa da cópia para que um novo estilo seja criado”. Essa foi a conclusão que a professora Anamélia Fontana Valentim apresentou na palestra “Reprodutibilidade estética na moda na era da reprodutibilidade técnica”, realizada nesta quarta-feira (22), durante a programação da SNCT do Câmpus Araranguá.

SONY DSCA professora destacou que, assim como a arte, a popularização da moda também se dá pela reprodução. “Eu nunca vi o quadro da Monalisa, mas eu sei como ele é, porque já vi a reprodução dele, por meio de fotos, por exemplo. O mesmo acontece na moda. As pessoas pegam uma ideia pronta e trabalham em cima dela. Dessa forma, uma tendência ou um estilo é reproduzido até a massificação, o que faz com que um novo estilo surja”, explica.

Outro ponto abordado na palestra é que, através da cópia, um produto pode até ser melhorado. “A cópia não deve ser vista como algo negativo. A moda brasileira aprendeu e cresceu com essa prática. Ela faz parte do processo de mudança na moda como um todo”, afirma Anamélia.

Para Malu Huff, aluna do último módulo do curso técnico de Produção de Moda do Câmpus Araranguá, a palestra foi bem técnica e complementou o conteúdo já estudado em sala de aula. “A cópia permite que um maior número de pessoas conheça o original e se acostume com ele. Isso é muito bom porque, quando não conhecemos algo, a tendência é rejeitarmos”, disse.

3º Sict-Sul será realizado no Câmpus Sombrio do IFC

A 3a edição do Simpósio de Integração Científica e Tecnológica do Sul Catarinense (Sict-Sul) já tem local definido: será no Câmpus Sombrio do Instituto Federal Catarinense (IFC). O evento, que reúne IFSC, IFC e UFSC, foi realizado no Câmpus Criciúma do IFSC no ano passado e no Câmpus Araranguá da UFSC este ano.

O 2º Sict-Sul, realizado nos dias 21 e 22 de outubro, teve mais de mil participantes inscritos. Ao todo, 156 trabalhos foram apresentados, sendo 88 pôsteres e 68 apresentações orais. Além disso, o evento contou com 11 minicursos, nove palestras e duas conferências. Só do IFSC, foram cerca de 260 participantes e 48 trabalhos apresentados.

Para Lucas Dominguini, representante do Câmpus Criciúma no Comitê Organizador, o Sict-Sul é muito positivo porque permite que um grande número de alunos da região participem e mostrem os resultados de seus trabalhos. “Nesse evento os alunos têm a oportunidade de conhecer e interagir com outras instituições, tanto com os professores e os alunos quanto com os espaços físicos, como laboratórios. Além disso, eles ainda podem apresentar seus trabalhos para pessoas de fora”, avalia.

“A edição deste ano superou nossas expectativas. Organizar um evento assim é bastante cansativo, mas vale muito a pena”, comenta Samuel Costa, representante do Câmpus Araranguá do IFSC no Comitê Organizador.

Alunos de Arroio do Silva assistem à palestra sobre prevenção às drogas

SONY DSCAlunos do 9º ano da Escola Municipal Jardim Atlântico, do município de Balneário Arroio do Silva, assistiam uma palestra na manhã desta quarta-feira (23) no Câmpus Araranguá sobre a prevenção ao uso de drogas. A atividade faz parte da programação da SNCT do câmpus, que inicia hoje e vai até amanhã (24).

A palestra foi ministrada pela subsecretária de Políticas Públicas sobre Drogas de Araranguá, Sayonara de Araújo Pessoa. Ela apresentou o conceito de drogas, que é toda substância que altera o estado físico de uma pessoa, e ressaltou que falar sobre prevenção é sempre algo positivo. “O consumo de drogas, sejam elas lícitas ou ilícitas, é sempre uma questão de escolha. Se o adolescente possui informação sobre o assunto, com certeza fará a escolha certa”, disse.

SONY DSCSayonara defende ainda que a política proibicionista não funciona entre jovens e adolescentes. “As pessoas buscam o prazer nas drogas porque não lhes foram apresentadas outras opções de práticas prazerosas, como exercícios físicos, por exemplo. O adolescente precisa de uma rede de proteção envolvendo a participação de diversas esferas do poder público”, avalia.

Além da Escola Municipal Jardim Atlântico, o Câmpus Araranguá recebe, durante os dois dias de evento, a visita de outras 13 instituições de ensino da região.

Professores do IFSC promovem minicursos durante o 2º Sict-Sul

Na manhã desta terça-feira (22), professores do Câmpus Araranguá promoveram três minicursos aos participantes do 2º Simpósio de Integração Científica e Tecnológica do Sul Catarinense (Sict-Sul), evento que integra os câmpus Araranguá e Criciúma do IFSC, o Câmpus Sombrio do IFC e o Câmpus Araranguá da UFSC. Um deles foi o “Panorama da Educação Básica”, com o professor César Marques. O 2º Sict-Sul fez parte da programação da SNCT do IFSC.

SONY DSCO professor César abordou dez temas que contribuíram para a construção do modelo de educação atual aplicado pelas escolas brasileiras. Segundo ele, a educação no Brasil é fragmentada e abstrata. “A interdisciplinaridade quase não existe. Os alunos estudam cada disciplina de forma isolada e não entendem porque precisam aprender aquilo, ou de que forma ele vai usar aquele conhecimento na sua vida”, explica.

Além disso, o professor também ressaltou que a educação é a escola hoje é voltada apenas para o mercado, o que causa um empobrecimento da relação humana. “O mercado é o ‘deus’ da sociedade capitalista. Nós, como educadores, temos que ter consciência disso e precisamos assumir uma postura de querer mudar esse panorama”, conclui.

Os outros dois minicursos promovidos pelo IFSC foram “Programação Arduino”, com o professor Eduardo Tocchetto de Oliveira Júnior, e “Tecnologia de fabricação dos não-tecidos”, ministrado pelo professor Wellington Rangel.

Vem aí a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2013!

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) de 2013 ocorrerá entre 21 e 27 de outubro, com o tema “Ciência, Saúde e Esporte”. Serão estimuladas e promovidas em todo o país atividades de divulgação, de difusão e de apropriação social de conhecimentos científicos e tecnológicos relacionados com esse tema.

O tema de 2013 foi escolhido para aproveitar os grandes eventos esportivos mundiais a serem realizados no Brasil, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, que servirão para motivar a população, em especial as crianças e os jovens, a conhecerem os aspectos científicos, educacionais e de saúde envolvidos nas atividades esportivas.

Para conferir a programação dos câmpus do IFSC, clique aqui.