SNCT em Canoinhas incentiva corpo e mente saudáveis

CapoeiraCentenas de pessoas, entre alunos, servidores e visitantes, podem conferir uma programação bastante diversificada na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) no Câmpus Canoinhas. Nesta quarta-feira, a apresentação de capoeira e a tenda com esportes radicais chamaram a atenção dos estudantes.

A equipe de Long Board de Canoinhas mostrou as diferenças desta categoria do skate – que é mais estável e atinge velocidades maiores – e falou de um dos principais projetos do grupo – a Rua da Juventude. Todo sábado à tarde uma das principais ruas do Centro da cidade é fechada para a prática de atividades esportivas e apresentações culturais.skate1

Para “Batuta”, um dos idealizadores do projeto, o objetivo é incentivar crianças, adolescentes e adultos a se movimentarem. “Seja skate, arte circense ou qualquer esporte. O importante é se exercitar e fazer amigos.”

Geração de ideias

Geração de ideiasAlém de corpo são, a mente também deve ser exercitada. O professor Jefferson Treml promoveu uma oficina de “Geração de Ideias” para problemas sociais e para possíveis negócios. “Primeiro é apresentado um conceito, como tecnologia, depois os alunos discutem um problema social e todos os atores envolvidos. Eles selecionam qual o principal ator relacionado àquele problema e por último propõe ideias para resolvê-lo de acordo com o conceito apresentado lá no começo”, explica.

E é assim, questionando temas do dia a dia, que muitas pessoas também cuidam da saúde. A Rede Feminina de Combate ao Câncer está na SNCT. “Neste mês as mulheres estão vendo o rosa por todos os cantos da cidade. É como um lembrete que questiona a todo momento: estou cuidando da minha saúde?”, aponta Regina Celes Gomes Weinert, da Rede em Canoinhas.

câncer de mamaEla destacou a importância de unir esforços para a conscientização, como a participação das alunas do programa Mulheres Mil, que confeccionaram centenas de flores com garrafas PET que estão enfeitando a cidade.

Papel-semente pode virar plantas nativas, como a erva-mate

Em vez de jogar fora um papel e poluir o meio ambiente, que tal enterrá-lo para dar origem a uma planta? Este é o objetivo do papel-semente, em que são colocadas sementes na massa de papel reciclado. A proposta já foi patenteada no  Brasil, mas um grupo do Curso Técnico de Agroecologia do Câmpus Canoinhas resolveu aplicar esta ideia com sementes de plantas nativas da região, como o sassafrás e a erva-mate.

Professores Orlando Campanini (esq) e Lauro Petrentchuk com os bolsistas do projeto.

Professores Orlando Campanini (esq) e Lauro Petrentchuk com os bolsistas do projeto.

O projeto começou a ser desenvolvido em agosto deste ano pelos bolsistas Felipe Cardoso e Débora Klautzc, com orientação do professor Orlando Campanini e co-orientação do professor Lauro William Petrentchuk.  Eles recolhem papel usado no próprio câmpus, deixam de molho na água para retirar a cola, por exemplo, e então o material e moído. Na hora de fazer a massa deste papel reciclado são adicionadas as sementes.

“Ele tem um aspecto bem diferente, que chama a atenção. Depois de reutilizado, o objetivo é que seja enterrado e o próprio papel sirva de substrato para a planta”, afirma Campanini.

Amostras de sassarás e erva-mate.

Amostras de sassarás e erva-mate.

A seleção das espécies, segundo o professor Lauro, levou em consideração alguns fatores históricos e sociais. “Canoinhas é considerada a capital mundial da erva-mate. E o sassafrás está na lista do Ibama como ameaçada de extinção. Desde  1993 é proibido o corte para extração”, afirma. O óleo extraído do sassarás era muito vendido principalmente para fora do Brasil para a indústria farmacêutica, cosmética e até para lubrificar peças embaixo d´água.

Com cores e aromas

O professor Lauro explica que outras plantas também estão sendo selecionadas, como pitanga, jabuticaba, aroeira-vermelha, canela-cravo e canforeira. Campanini completa que para deixar o papel ainda mais atrativo a proposta é produzi-lo com cores e aromas obtidos a partir de algumas destas plantas. “Este papel poderá ser usado em folders da instituição, pastas e até convites de formatura”, detalha Campanini.

 

Projeto em Canoinhas desenvolve surimi de tilápia

A carne de pescado moída, processada e rica em proteínas é conhecida como surimi e é a base do kani – amplamente utilizado na culinária japonesa. Geralmente é feito com pescado branco, mas em Canoinhas um projeto de pesquisa está desenvolvendo surimi de tilápia.

Alunas Karine Packer e Luana Farias com o professor Luciano Malfatti.

Alunas Karine Packer e Luana Farias com o professor Luciano Malfatti.

O peixe, originário da África, teve fácil adaptação na região e é muito consumido. “Mas quando a indústria faz os filés do pescado, sobra muita carne na espinha. O projeto pretende propor uma melhor utilização desta carne”, afirma a estudante Karine Packer, do Curso Técnico de Agroindústria do Câmpus Canoinhas.

A pesquisa foi apresentada durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) por Karine e pela colega Luana Farias, que têm como orientador o professor Luciano Malfatti. Elas explicam que a carne moída do pescado passa por processos de lavagens para que as proteínas não-funcionais sejam retiradas da massa. “Só ficam as proteínas boas, que representam de 66 a 77% do total”, afirma Luana.

A retirada de alguns componentes também garante ao produto maior elasticidade, menos odor e sabor mais suave. Com o surimi de tilápia, as estudantes propõe fazer linguiça e patê.

Curso em Canoinhas dá nova perspectiva para catadores de material reciclável

O trabalho duro nas ruas de Canoinhas, os riscos de recolher material reciclável em uma cidade que não costuma separar o lixo e o baixo valor pago pelo produto têm tudo para ficar no passado para 20 trabalhadores que estão fazendo o curso “Operador de Tratamento de Resíduos” pelo Pronatec.

Professores do curso, alunas e parceiros mostran no estande como será o trabalho na usina de reciclagem.

Professores do curso, alunas e parceiros mostran no estande como será o trabalho na usina de reciclagem.

Os resultados desta iniciativa do Câmpus Canoinhas estão sendo mostrados durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), assim como a parceria com a prefeitura do município.

No curso, os alunos, que já trabalham há anos como catadores de material reciclável, têm aulas sobre a importância de usar equipamentos de proteção individual (EPI), como luvas, sapatos fechados e óculos, sobre a separação adequada dos materiais e sobre como podem se unir em uma cooperativa para garantir uma renda maior.

Ensinamentos que fizeram Maria Claudete de Oliveria (44) a fazer planos para o futuro. Há 18 anos ela recolhe material reciclável quase todos os dias com uma carroça. Com a venda de papelão, plásticos e vidro, consegue de R$ 60,00 a R$ 80,00 por mês. “Não pagam mais que isso”, diz. Mas no curso ela aprendeu como funciona uma cooperativa e como isso pode ajudá-la a aumentar a renda. “São mais pessoas juntas para vender e negociar. Vai ser bom né?”

O curso começou em julho e segundo a supervisora Twisa T. B. Nakazima, até o fim do ano eles estarão capacitados para montar a cooperativa e trabalhar na usina de reciclagem que está sendo construída pela prefeitura. “Eles ficarão na usina, para onde o caminhão vai levar os recicláveis recolhidos na cidade. Em uma esteira, vão fazendo a separação de acordo com o tipo e cor de cada material. Tudo com os equipamentos de proteção necessários, em um ambiente totalmente adequado, com picador de papel, prensas, triturador de vidro e balança”, afirma. O material separado será vendido e o valor dividido entre os trabalhadores.

Lixo Zero

Enquanto trabalhadores são capacitados, o município de Canoinhas começa a conscientização dos moradores. Segundo Márcio Werka e Alvanir Pacheco, da Secretaria do Meio Ambiente, as informações sobre a importância da separação do lixo e como ela deve ser feita estão sendo levadas primeiramente para as escolas. E um cronograma com as datas que o caminhão fará a coleta seletiva em cada bairro também está sendo divulgada.

A expectativa da Secretaria é que a usina comece a operar em janeiro, separando cerca de 20 a 30 toneladas de material reciclável por semana.

Aluna de Canoinhas ensina colegas a usar software livre de desenho

Alunos dos Cursos Técnicos de Edificações e de Informática do Câmpus Canoinhas puderam conhecer e aprender a desenhar com o Sketch Up – um software da empresa Google que pode ser baixado gratuitamente e que é usado para fazer desenhos 3D.

Aluna e professora ministram juntas oficina de desenho 3D.

Aluna e professora ministram juntas oficina de desenho 3D.

A oficina, que faz parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), está sendo ministrada pela professora Ana Paula Pupo Correia e pela aluna dela, Daiane dos Santos, do Curso Técnico de Edificações. “Também faço o curso superior de Desenho Industrial e como tenho facilidade de mexer com este programa, resolvemos ajudar outros alunos. É um programa bem simples e que faz com que plantas ganhem volumetria”, afirma Ana Paula.

Além de plantas de imóveis, o software pode ser usado para desenhar objetos e móveis.

Oficina de maqueteria auxilia alunos no desenvolvimento de plantas.

Oficina de maqueteria auxilia alunos no desenvolvimento de plantas.

Para melhorar a percepção dos alunos na hora de desenvolver as plantas, a professora Ana Paula promoveu também uma oficina de maquetes. “O objetivo é que os alunos compreendam a noção espacial 3D”, afirma. A maioria dos participantes é do Técnico de Edificações. Eles desenham as plantas no computador, imprimem e depois desenvolvem as maquetes. “Esta é uma disciplina que eles terão mais no final do curso. Aqui podem antecipar este conhecimento.”

Câmpus Canoinhas recebe mais de 200 alunos da região

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) está sendo uma boa oportunidade para a comunidade externa conhecer o Câmpus Canoinhas e os cursos ofertados. Nesta terça-feira, corredores, salas de aula e laboratórios estão lotados de visitantes.
Cerca de 200 alunos de escolas públicas dos municípios de Canoinhas, Três Barras, Bela Vista do Toldo e Irineópolis passaram algumas horas do dia na instituição. Puderam conhecer a estrutura física, os laboratórios, os estandes dos cursos e conversar com alunos e professores.

Alunos de escolas públicas da região visitam laboratórios do câmpus.

Alunos de escolas públicas da região visitam laboratórios do câmpus.

 

Quem se interessa em estudar no local, já pode se inscrever na hora. Um ônibus com vários computadores está de portas abertas para que os estudantes façam a inscrição para 2014. Terezinha dos Anjos, de 46 anos, não perdeu a chance. Ela é aluna do Mulheres Mil e está participando da SNCT. Aproveitou para fazer a inscrição para o Curso de Agroindústria.

Para ela, é a continuação de um sonho. Ela voltou a estudar depois de adulta, já com filhos. Em 2004 concluiu o Ensino Médio e começou a trabalhar como confeiteira. “Quero seguir na minha área. E como esta é a melhor escola de Canoinhas, faço questão de estudar aqui”, afirmou.

Caroline Gonçalves de Lima, de 18 anos, quer fazer o mesmo curso. “Minha irmã fez o Técnico em Agroindústria e falou que é muito bom”, disse.

Canoinhas tem oficinas sobre alimentação saudável

O Câmpus Canoinhas iniciou a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) com palestras e oficinas para quem busca uma alimentação mais saudável. Nesta terça-feira, a professora do Curso Técnico de Agroindústria, Cristiany Martins, abriu o laboratório de análise de alimentos para falar sobre o uso de fitoterápicos no dia a dia.

Oscar observa a professora Cristiany falar sobre os benefícios das plantas.

Oscar observa a professora Cristiany falar sobre os benefícios das plantas.

Segundo ela, com a crescente busca pela qualidade de vida, os chás estão sendo cada vez mais procurados. Na oficina, foram repassadas orientações sobre a melhor forma de preparar chás, xarope de mel e cristais de gengibre. “Cada planta pode ter uma ou mais partes com efeito medicinal. Podem fazer muito bem à saúde se a pessoa souber qual parte utilizar e como preparar.”
Mas em alguns casos é preciso cautela. Uma folha chamada confrei, por exemplo, nunca pode ser ingerida: é tóxica. “Ela é muito boa para passar na pele, no caso de uma ferida, mas chá, de maneira alguma”, alerta Cristiany.
Parte da turma ficou surpresa com a informação. Entre os cerca de 20 participantes da oficina, estavam alunos do curso de Agroindústria, do Mulheres Mil e também pessoas da comunidade, como Oscar Conceição Neto, que foi convidado para uma apresentação de skate na SNCT e se inscreveu na oficina. “Como esportista sempre procuro trocar refrigerantes e sucos industrializados por produtos naturais. Achei esta uma boa oportunidade para conhecer melhor os benefícios das plantas”, afirma.
Iogurte probiótico
Para atender a crescente demanda por produtos saudáveis, o mercado de laticínios está ampliando a oferta de iogurtes probióticos, em que são adicionadas as bifidobactérias. Elas ajudam a melhorar o funcionamento do intestino e até inibem a proliferação de bactérias que podem fazer mal ao organismo.
Aprender a fazer um iogurte assim foi o objetivo da oficina ministrada pela professora Silvia Benedetti. Na turma, estavam principalmente alunas do curso do Pronatec de Auxiliar de Padaria e Confeitaria. “É uma extensão do que estamos tendo no curso. Eu já faço há algum tempo salgadinhos e doces para vender, mas aqui estou aprendendo coisas novas a cada aula”, destaca Jundira Colaço Pinto.

Vem aí a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2013!

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) de 2013 ocorrerá entre 21 e 27 de outubro, com o tema “Ciência, Saúde e Esporte”. Serão estimuladas e promovidas em todo o país atividades de divulgação, de difusão e de apropriação social de conhecimentos científicos e tecnológicos relacionados com esse tema.

O tema de 2013 foi escolhido para aproveitar os grandes eventos esportivos mundiais a serem realizados no Brasil, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, que servirão para motivar a população, em especial as crianças e os jovens, a conhecerem os aspectos científicos, educacionais e de saúde envolvidos nas atividades esportivas.

Para conferir a programação dos câmpus do IFSC, clique aqui.

Estudantes explicam a importância de estar atento aos rótulos dos produtos

Esse símbolo ao lado está presente nas embalagens de alguns produtos vendidos em supermercados. Porém, muitas pessoas nunca o notaram ou não sabem o que ele significa. Para chamar a atenção sobre a importância de o consumidor estar atento para a certificação e fiscalização dos produtos que consome, os estudantes do curso técnico em Agroindústria do Campus Canoinhas explicaram aos visitantes da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia os principais selos que vêm estampados nos rótulos dos produtos.

Continuar lendo

Campus Canoinhas organiza sua primeira Semana de C&T

O Campus Canoinhas do IF-SC organizou pela primeira vez atividades em comemoração à Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, realizadas ontem (20) e que continuam hoje (21). Foram instalados estandes no hall de entrada do campus e realizadas oficinas e palestras abertas à comunidade e apresentação de trabalhos de pesquisa desenvolvidos por alunos e servidores do campus. Confira abaixo algumas imagens da SNCT em Canoinhas.

Continuar lendo