Colóquio sobre futsal destaca tecnologias da área

jaragua futsal 2Na terça-feira (23), na parte da tarde, o preparador físico da equipe de futsal de Jaraguá do Sul, Mauro Sandri, e o preparador de goleiros, Sérgio Santana, participaram do colóquio sobre futsal promovido pelo Câmpus Jaraguá do Sul. Durante a conversa com o público, os convidados abordaram as tecnologias envolvidas no esporte, citando, por exemplo, os testes de controle de fadiga realizados em atletas, os estudos na área de biomecânica e as chuteiras cada vez mais leves. Além do futsal, os profissionais também trouxeram exemplos de outros esportes, como tênis, ciclismo e natação.

jaragua futsal

Oficina mostra diferentes usos para frutas nativas das regiões de mata de araucária

frutasnativasProfissionais da ONG Centro de Tecnologias Alternativas e Populares (Cetap) e da microempresa Encontro de Sabores, de Passo Fundo (RS), ministraram oficina na SNCT do Câmpus Urupema sobre o uso e aproveitamento de frutas nativas de regiões de mata de araucária como fonte de renda para pequenos agricultores. Eles mostraram diversas maneiras como as frutas e suas sementes podem ser aproveitadas comercialmente.

O técnico agropecuário Alvir Longhi, do Cetap, conta que, nessas regiões, frutas e sementes nativas como o butiá, a uvaia, o araçá, a guabiroba, a jabuticaba e o pinhão não têm todo o seu potencial explorado. Ele cita o pinhão, alimento-símbolo das regiões de mata de araucária, como exemplo. “Como se consome o pinhão? Geralmente sapecado ou cozido. Mas podem ser feitos paçoca de pinhão, pastel de pinhão, farinha de pinhão e outras formas de aproveitá-lo.”

A coordenadora do Encontro de Sabores, Lidia da Rocha Figueiró, acompanhou Alvir na oficina.

 

Oficina aborda plantas bioativas

plantasbioativasO conhecimento sobre plantas bioativas foi tema de oficina na SNCT em Urupema na manhã de quinta, dia 24, organizadapelos professores Carolina Amorim e Roberto Komatsu e ministrada pelo professor Aléssio dos Passos Santos, de Florianópolis. Os participantes conheceram quais são as principais plantas existentes na região capazes de produzir compostos ou substâncias que interferem ou alteram o funcionamento orgânico dos seres vivos. Eles visitaram o horto municipal (foto), próximo ao Câmpus Urupema do IFSC, onde são cultivadas espécies usada por uma funcionária da prefeitura para produzir medicamentos fitoterápicos, distribuídos gratuitamente à população no posto de saúde local.

Atividade física na SNCT em Urupema

A tarde de quarta-feira foi de atividade física na SNCT em Urupema. A fisioterapeuta Vanessa Moresco ministrou, a pedido do câmpus do IFSC, uma oficina de pilates no ginásio da Escola Estadual Manoel Pereira de Medeiros.

pilatesO público de aproximadamente 50 pessoas, entre alunos da escola estadual e do IFSC, servidores do Instituto Federal e comunidade em geral, fez vários exercícios de alongamento e que visavam ao fortalecimento muscular orientados pela fisioterapeuta.

Vanessa explica que a técnica do pilates traz benefícios como o alongamento e fortalecimento muscular e alinhamento postural. É bastante procurado por gestantes e para tratamento ortopédico, por exemplo. Um vídeo no YouTube conta com animações a história da técnica desde sua invenção pelo alemão Joseph Pilates.

Depois do pilates, foi a vez do futsal na quadra do ginásio da Escola Manoel Pereira de Medeiros. Times formados por alunos e servidores do IFSC e da comunidade disputaram partidas na tarde de quarta-feira.

Garopaba recebeu conselheiro do CNE

franciscocordaoFrancisco Aparecido Cordão, conselheiro do Conselho Nacional de Educação, ministrou palestras sobre as novas diretrizes curriculares dos cursos técnicos na abertura da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia do Câmpus Garopaba. As novas diretrizes permitem a oferta de cursos técnicos que o conselheiro classifica como “concomitantes na forma e integradas no conteúdo”, como os cursos técnicos concomitantes em Informática e Biotecnologia do Câmpus Garopaba.

Os cursos serão oferecidos em parceria entre o IFSC e a Escola Estadual Básica Maria Corrêa Saad, próxima ao Câmpus Garopaba. As aulas referentes ao ensino médio serão ministradas na escola estadual, enquanto a educação profissional técnica fica a cargo do IFSC. O projeto pedagógico é único, o que vai permitir que os currículos da educação básica e da educação profissional sejam mais integrados.

Na forma “tradicional” do curso técnico concomitante, estudantes de diferentes instituições matriculam-se em um curso técnico e os currículos da educação básica não necessariamente focam assuntos que serão vistos pelos alunos no seu curso de educação profissional. Os dois cursos de Garopaba são os primeiros oferecidos pelo IFSC nesse formato e estão com inscrições para o processo seletivo abertas até 6 de novembro, no site www.ingresso.ifsc.edu.br. Francisco Cordão afirma que conhece apenas mais uma iniciativa semelhante no Brasil, em São Paulo.

Em Joinville, alunos mostram eletroeletrônicos feitos com materiais recicláveis

Alunos do Curso Técnico de Eletroeletrônica mostram a batedeira e o carregador de celular feitos por eles.

Alunos do Curso Técnico de Eletroeletrônica mostram a batedeira e o carregador de celular feitos por eles.

Batedeira que funciona com motor de impressora, carregador de celular feito com CDs e lápis, luminária de azeite e vinagre. Achou estranho? Pois tudo isso funciona, e bem! São experimentos de alunos do Ensino Médio do Câmpus Joinville que estão na Mostra Acadêmica da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT).

Em uma tenda, os alunos expõem os equipamentos e explicam aos visitantes como eles funcionam. Kalena Morais fez até milk-shake na batedeira. “Usamos uma fonte de computador, o motor de uma impressora velha e um interruptor. Quando o circuito elétrico está fechado, ela funciona!”, explica com o entusiamo a nova cientista.

Durante o dia todo ela e os colegas de experimento Gabriel da Silva, Igor Calegari, Thamara Correa e Ramon Nass atenderem centenas de alunos do IFSC e de escolas que visitaram a instituição e ficaram curiosos com as “engenhocas”.

Uma delas é bem útil para quem perdeu o carregador de celular. Com um pedaço de papelão, dois CDs, elástico de dinheiro e lápis, os alunos Lucas Siedschlag, Renan dos Santos, Hector Paradela e Sálvio Luz conseguem carregar qualquer eletroeletrônico.

Aline e Camila tentam separar as listas telefônicas.

Aline e Camila tentam separar as listas telefônicas.

E tem também experiências que mais parecem mágica ou algum truque, mas é apenas Física. As colegas Aline Tavares e Camila Santiago fazem muita força para tentar separar duas listas telefônicas, que tiveram as folhas intercaladas como fazem os jogadores ao embaralhar cartas. “São 300 folhas de cada lado que geram um grande atrito. Tem vídeo que mostra que nem dois carros, um puxando para cada lado, consegue desgrudar”, afirmam. E não há cola alguma!

Já a luminária feita por elas usa o princípio da densidade. Num vidro: óleo, vinagre, corante e um pouquinho de bicarbonato de sódio, que em contato com o vinagre solta bolhas coloridas.

Avaliação

E todos os experimentos são avaliados por professores do câmpus e por alunos do Curso Superior em Mecatrônica. “É muito interessante ver estes meninos fazendo pesquisa e construindo os experimentos. Até porque tenho interesse na docência e aqui podemos conhecer melhor este meio”, afirmou o aluno de Mecatrônica, Daniel Rodrigues.

O colega João Driessen lembra que quando fez o Ensino Médio teve apenas a teoria. “Fui fazer pesquisa só na graduação. Estes meninos têm uma vantagem muito grande se quiserem continuar pesquisando. Terão mais experiência.”

João e Daniel avaliam experimentos da Mostra.

João e Daniel avaliam experimentos da Mostra.

Este é um dos objetivos de incentivar a prática pelos alunos. Segundo a professora de Física do câmpus, Ana Melo, “o IFSC tem este diferencial em priorizar a dialética teoria/prática e isso contribui expressivamente em uma formação completa dos nossos estudantes.”

Mesa-redonda discute a relação entre atividade física e saúde

Na manhã desta quinta-feira (24), os participantes da SNCT do Câmpus Araranguá acompanharam a mesa-redonda “Ciência, saúde e esporte”, que contou com a participação da professora do IFSC Carmem Beck e do médico da Faculdade de Medicina da Uniplac, Rafael Gilson. A mediação ficou por conta do professor Mateus Colares.

SONY DSCRafael fez uma apresentação sobre o panorama geral da saúde no Brasil e no mundo, apresentando índices – como natalidade, expectativa de vida e mortalidade – e a evolução histórica deles. Já Carmem apresentou as mudanças que ocorreram nos padrões de atividade física que, segundo ela, podem ser observadas por meio de quatro domínios: deslocamento, atividades domésticas, trabalho e lazer. “Pode-se notar uma grande diferença nessas quatro atividades. As formas como as executamos mudaram muito, e essas mudanças fazem com que as pessoas façam menos esforço, menos atividade física”, explica.

Segundo a professora, essas mudanças podem ser atribuídas a vários fatores, como o crescimento econômico, o ambiente favorável ao transporte motorizado, a baixa percepção de segurança, a urbanização, os dispositivos mecânicos utilizados no trabalho e as relações pessoais.

Atividade física e longevidade

Você sabe qual a quantidade de atividade física necessária para manter a saúde em dia? Durante a mesa-redonda “Ciência, saúde e esporte”, realizada no Câmpus Araranguá, a professora do IFSC Carmem Beck explicou que o ideal é que se pratique, no mínimo, 150 minutos de atividade física por semana. Cerca de metade da população brasileira não atinge essa marca.

SONY DSCOutra informação importante trazida por Carmem durante o evento foi de que, passar de quatro a oito horas por dia sentado, aumenta o risco de morte, independente da prática de atividade física. “Esses dados ainda estão sendo estudados, mas já se sabe que há relação. Por isso, é importante que pessoas que trabalhem sentadas levantem e caminhem com frequência”, aconselha a professora.

Por fim, Carmem deixou uma dica para o público, formado basicamente por adolescentes. “Façam no mínimo 60 minutos de atividade física por dia e, se possível, acrescentem sessões de fortalecimento muscular três vezes por semana. Isso trará uma série de benefícios que serão notados agora e para o resto de suas vidas”, disse.

Reitora participa da abertura da SNCT em Joinville

Reitora Maria Clara, com o diretor Mauricio Taques,  o representante do prefeito Udo Döhler, Gilberto Leal Jr, e a assessora da direção do câmpus Suely Anderle.

Reitora Maria Clara, com o diretor Mauricio Taques, o representante do prefeito Udo Döhler, Gilberto Leal Jr, e a assessora da direção do câmpus Suely Anderle.

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) no câmpus Joinville começou oficialmente nesta quinta-feira pela manhã, com o início de uma programação repleta de esporte, cultura e tecnologia. A reitora Maria Clara Schneider participou da solenidade e destacou a importância do evento para promover o conhecimento científico e tecnológico.

“É um desafio para o Instituto Federal porque isso envolve muito trabalho, muito esforço. Joinville está de parabéns, percebi os alunos envolvidos e empolgados em apresentar os trabalhos.”

A banda do 62º batalhão de Infantaria tocou o hino nacional e a música “Brasileirinho”.

A assessora da direção e coordenadora da comissão da SNCT, Suely Anderle, destaca que a programação busca atender os objetivos propostos para a Semana, com o tema Ciência, Saúde e Esporte, mostrando os trabalhos desenvolvidos pelos alunos e trazendo palestras relacionadas à saúde, atividade culturais e esportivas.

Durante a quinta e sexta-feira estão programadas mostra acadêmica, mostra musical, apresentações culturais e atividades relacionadas à saúde. Alunas do curso de Enfermagem, por exemplo, estão medindo a pressão e fazendo testes de glicemia.

Portas abertas

Várias turmas de escolas da região também estão sendo trazidas ao câmpus para participar das atividades, conhecer a estrutura da instituição e os cursos ofertados. Eles têm a oportunidade também de se inscrever na hora para os cursos de 2014. Mais de 500 alunos são esperados nos dois dias de programação.

 

Laboratórios do curso de Agroindústria atraem curiosidade dos visitantes

laboratorio_frutas_hortalicasOs laboratórios utilizados nas aulas do curso técnico de Agroindústria do Câmpus Xanxerê prenderam a atenção dos alunos do 1° ano do ensino médio da Escola de Educação Básica Presidente Artur da Costa e Silva, que visitaram o câmpus na manhã desta quinta-feira (24). Nas instalações recém-reformadas, eles acompanharam alguns processos realizados durante as aulas do curso, em especial nas áreas de laticínios, frutas e hortaliças, cereais, raízes e tubérculos e microbiologia.

laboratorio_microbiologia_bacteriasNa parte de laticínios, os estudantes conheceram o iogurte de milho – projeto desenvolvido no curso – e acompanharam o teste do alzarol, que detecta impurezas no leite. Na área de frutas e hortaliças, observaram os equipamentos utilizados na produção de geleias e o tanque de fermentação, no qual se produz vinho e cerveja. No setor de microbiologia, observaram em microscópios como é a estrutura do amido de milho antes e depois da adição de água, além de visualizar os mínimos detalhes anti-higiênicos de uma mosca em imagem ampliada.

turma_escola_costa_e_silvaOs estudantes observaram também algumas culturas de fungos e bactérias produzidas no laboratório e a importância dessas experiências para a produção de alimentos, além de acompanhar demonstrações com outros equipamentos dos laboratórios. Para o diretor da escola, Edegar Fumagalli, a aproximação com o Câmpus Xanxerê é importante para os alunos. “Eles sempre aproveitam e aprendem muito”, afirmou o diretor da instituição estadual, que existe há 60 anos, tem atualmente cerca de mil alunos e oferta os cursos de magistério, ensino médio regular, inovador (em período integral) e técnico de Alimentos.