Semana de C&T ajuda a divulgar os campi do IF-SC

Um dos objetivos da Semana de Ciência e Tecnologia do Instituto Federal de Santa Catarina (IF-SC) é divulgar os cursos e a estrutura dos campi. Foi com esse intuito que a participante da Oficina de Paella do Campus Florianópolis-Continente que aconteceu na tarde de ontem, Bartira Lins, quis se inscrever nas atividades do Instituto.

Bertira cuida da filha, de 2 meses, durante a Oficina de Paella do Campus Florianópolis-Continente

Apesar de ter estado presente do início ao fim da oficina de paella, Bertira não pôde aproveitá-la como desejava. A filha de 2 meses, ainda no carrinho, tomou a maior parte de seu tempo e sua atenção. “Meu pai me falou sobre a oficina e fiz de tudo para estar presente. Tinha que cuidar da minha filha, então acabei trazendo-a para assitir também (risos).  É uma pena que não consegui aproveitar como deveria, pois nem sempre o bebê deixa”, disse Bartira. No entanto, a visita ao IF-SC não foi em vão. “Eu vim para conhecer a instituição, a estrutura. Durante a visitar pelas dependências, pude perceber que é um ambiente legal e agradável”, destacou.

Ao final da oficina de paella, todos os participantes da oficina foram acompanhados pela assessora de direção Jane Daura da Silveira para um passeio para conhecer o campus. Muitos prometeram voltar ao IF-SC em breve. Alguns para cursar algum curso, outros apenas para a oficina de sexta-feira, também no Campus Florianópolis-Continente, que será sobre a cozinha tailandesa.

Visitantes do Campus Florianópolis conhecem trabalhos práticos e teóricos

Quem visitar a 8ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia do Campus Florianópolis irá conhecer diversos trabalhos de pesquisa teóricos e práticos desenvolvidos por alunos de todos os cursos da instituição. Além dos banners expostos na entrada do campus e de estandes com parte dos experimentos desenvolvidos no IF-SC, o visitante poderá entrar nas salas e laboratórios utilizados diariamente pelos cursos técnicos e tecnólogos.

Visitantes da 8ª SNCT no hall do Campus Florianópolis

Um dos experimentos que mais chama a atenção dos visitantes é o gerador de van der graaf, exposto no estande do departamento de Eletrotécnica e que é utilizado para demonstrar o processo de eletrização. Se você tiver os cabelos compridos poderá verificar na prática os efeitos da eletrização.

Estande de eletrotécnica

Gerador de Van der Graaf: cabelos arrepiados

Entre os trabalhos teóricos está o desenvolvido pelos alunos Marcos Daniel, Carolina Lehmkuhl e William Passos, do curso técnico integrado em Química. Eles estudaram o processo de fermentação alcoólica a partir de sucos naturais vendido em supermercados, como maracujá, uva e pêssego. Os resultados podem ser conferidos no hall do Campus Florianópolis até o dia 21, quando termina a SNCT.

Curso de Química

Alunos pesquisadores do curso técnico em Química

Para saber a programação completa da SNCT no Campus Florianópolis, clique aqui. Para acessar a programação da 8ª SNCT em todo o Estado, clique aqui.

Começa a 8ª SNCT no Campus Florianópolis

Começou nesta terça-feira, dia 18, a 8ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) no Campus Florianópolis. Com exposições, palestras, exposições orais e visitas guiadas por laboratórios e salas de aula da instituição, a SNCT do Campus Florianópolis vai até sexta, dia 21. O evento é gratuito e aberto à comunidade em geral.

Público presente na abertura da 8ª SNCT no Campus Florianópolis

Para o diretor-geral do Campus Florianópolis, Maurício Gariba Júnior, a SNCT traz a população para o campus e permite que os cursos e projetos desenvolvidos pelo IF-SC sejam mais conhecidos. “No momento em que trazemos as escolas e a comunidade para dentro do campus e apresentamos o que é desenvolvido por nós, estamos efetivamente integrando o Ensino, a Pesquisa e a Extensão”, destaca.

Diretor-geral do Campus Florianópolis, Maurício Gariba Júnior

Segundo a pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Maria Clara Schneider, a SNCT mostra o resultado do trabalho tanto dos alunos pesquisadores quanto dos servidores. “Quando vemos tantos estudantes justificando cientificamente seus esforços de pesquisa, percebemos que nosso trabalho vale a pena”, afirma.

No Campus Florianópolis, a 8ª SNCT vai até o dia 21. A entrada é gratuita e os visitantes podem realizar, na hora, visitas guiadas pelas instalações do campus.

Clique aqui e acesse a programação completa da SNCT no Campus Florianópolis. Para acessar a programação da 8ª SNCT em todo o Estado, clique aqui.

Campus Garopaba promove palestras em escolas da região

O Campus Garopaba iniciou as atividades da SNCT nesta segunda-feira (17) na Escola Professora Justina da Conceição, em Ibiraquera no município de Imbituba. Servidores do campus realizaram a palestra com o tema “Pensando o profissional para enfrentar o grande desafio planetário” para os estudantes da 8ª série do ensino fundamental, enquanto toda a comunidade escolar foi atendida no estande montado no pátio da Escola. “Professores e estudantes de todas as faixas etárias se mostraram bastante interessados no estande e a interação com a comunidade foi muito valiosa para ambos os lados”, destaca a professora de Meio Ambiente do campus, Elisa Serena Gandolfo.

Alunos compartilham conhecimentos em oficina do Campus Florianópolis-Continente

Quem disse que só professor pode ensinar? Na oficina da tarde desta segunda-feira (17) do Campus Florianópolis-Continente, muitos dos alunos que participavam da atividade na oficina de Paella trabalham em restaurante e eventos. A experiência no trabalho pôde ser compartilhada com os colegas da oficina, que tiveram a oportunidade de aprender uns com os outros.

Eduardo Sommelier (de camisa azul- na esquerda da foto) participou da Oficina de Paella do Campus Florianópolis Continentes

Eduardo Sommelier era um dos alunos, mas também atuava como professor para os colegas. Isso porque Eduardo trabalha há 8 anos com vinhos, em um restaurante, e se define um grande conhecedor do assunto, tendo inclusive participado de eventos como professor.

Recentemente, Eduardo esteve na Espanha e conheceu melhor a culinária do país. Informado sobre a oficina por sua esposa, que faz o curso técnico em Cozinha no IF-SC, Eduardo aproveitou a folga no trabalho e resolveu aprender a cozinhar a paella ‘original’. “Sou apaixonado por culinária, adoro passar o tempo cozinhando. Vi essa oportunidade de participar da oficina, aprender com algum especialista orientando, e não pude deixar de me inscrever”, diz.

Saiba como foi a oficina de Paella no Campus Florianópolis-Continente

Uma oficina destinada a alunos interessados em aprender a cozinhar a famosa paella valenciana marcou o início das atividades da Semana de Ciência e Tecnologia do Campus Florianópolis-Continente do Instituto Federal de Santa Catarina (IF-SC). Durante quase três horas, professores do campus estiveram encarregados de passar aos alunos os ensinamentos básicos necessários para o preparo de uma sofisticada refeição com a comida típica espanhola e a sua harmonização com vinhos e outras bebidas.

Após uma breve introdução à história dos vinhos, sua produção e melhor utilização, feita pelo professor  especialista em bebidas Wilton Carlos Cordeiro, os participantes seguiram para a cozinha do Campus Continente, onde foram recebidos pelo professor Vinícius. Lá, puderam observar todas as fases do preparo da paella, prato que surgiu na cidade de Valencia, na Espanha, e acabou sofrendo modificações em seus ingredientes de acordo com o local em que era feito. Atualmente, vários tipos de paella são feitos e até mais conhecidos do que a paella valenciana, considerada a original.

Apesar de não terem colocado a mão na massa, os alunos acompanharam detalhadamente a produção do prato típico espanhol pelo professor, desde a separação dos ingredientes ao modo de preparo. A partir das orientações do chef,  também deram seus palpites e contaram suas experiências na cozinha,  o que resultou em um ambiente descontraído e de muita interação.

Depois de tudo pronto, os alunos se reuniram no salão de refeições do campus e puderam fazer a degustação do prato.

Campus Florianópolis-Continente abre Semana com oficina de Paella

Está oficialmente aberta a Semana de Ciência e Tecnologia do Campus Florianópolis-Continente do Instituto Federal de Santa Catarina (IF-SC). Logo após uma pequena palestra de abertura da professor Jane Daura Silveira, organizadora da Semana no Campus, os alunos começaram a Oficina  de Paella : Ealaboração e Harmonização, em que aprenderão a elaborar o prato típico da ganstronomia espanhola e a harmonizar a refeição com vinhos e outras bebidas.

Durante a palestra de apresentação, Jane deu as boas-vindas aos participantes e falou um pouco da história dos cursos técnicos e de qualificação do Campus Continente, baseados principalmente na gastronomia e no lazer. Jane também destacou as datas de inscrições para as provas de vestibular e exame de classificação para o Ingresso 2012.1, alertando para as diversas possibilidades em diferentes áreas  nos três campi do IF-SC na região – além do Continente, o IF-SC tem campus em Florianópolis e em São José.

O encarregado de dar início à oficina de Paella foi o professor Wilton Carlos Cordeiro, especialista em bebidas, que fez uma introdução à história do vinho e explicou sua produção, utilização e combinação com diferentes pratos e refeições.

A oficina tem o término previsto para as 16h.

Começa a Semana de Ciência e Tecnologia em diversos campi

Nesta segunda-feira (17), diversos campi do Instituto Federal de Santa Catarina (IF-SC) dão início às comemorações da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. As atividades começam nos campi Caçador, Florianópolis, Florianópolis-Continente, Garopaba e São José. Na programação, olimpíada, palestras e visitas.

O Campus Florianópolis abriu as atividades da Semana com a solenidade de abertura da VII Olimpíadas do Campus Florianópolis. Os jogos envolvem as turmas dos cursos técnicos Integrados ao Ensino Médio.

Alunos do Campus Florianópolis participam de olimpíadas durante toda a semana

As atividades da Semana de C&T nos campi são gratuitas e abertas ao público. Clique aqui para conferir as programações em cada cidade.

Debate sobre soberania e segurança alimentar

A noite de quinta-feira (13) foi de discussão sobre Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Esse foi o tema abordado por quatro estudantes do curso de qualificação profissional em Produção Integrada de Frutas do Campus Urupema do IF-SC: Eliton Ribeiro de Andrade, José Nilson de Brito, Lenon de Andrade e Lucas dos Santos Vieira. O trabalho foi orientado pelo professor Estevan Muñoz.

Entre os temas em debate, o excesso de agrotóxicos usados na agricultura no Brasil. O filme “O veneno está na mesa” foi usado nas discussões.  Segundo o filme, há estudos que mostram que o brasileiro ingere, em média, 5,2 litros de agrotóxicos por ano por meio do consumo de produtos agrícolas.  “A produção orgânica ainda é muito pequena”, lamenta Estevan.

Os quatro estudantes trabalham na área de fruticultura, mais especificamente com a maçã, fruta importantíssima para a economia de Urupema, município de 2,4 mil habitantes. Lucas e José Nilson trabalham na colheita da maçã, enquanto as famílias de Eliton e Lenon são pequenas produtoras da fruta. Eles buscaram o curso no IF-SC para ampliar conhecimentos e crescer profissionalmente.

“Estudar sempre é bom. A gente ganha como pessoa e na profissão também”, diz José Nilson. “Muita coisa a gente já sabe na prática, mas aqui a gente aprende a teoria e novos conteúdos também”, completa Eliton.

Jogos digitais despertam curiosidade

As crianças que visitaram a Semana da Alimentação do Campus Urupema nesta quinta (13) tiveram a oportunidade de brincar e aprender com as lousas digitais. Os professores João Gustavo Provesi e Wilson Castello Branco Neto organizaram jogos para os estudantes conhecerem como funciona essa ferramenta, desconhecida para praticamente todos eles.

No jogo, os estudantes, divididos por equipes, tinham que ir até a lousa e selecionar um dos quadrados que continha uma pista sobre um objeto a ser decifrado por elas (um exemplo de pista: “tenho asas, mas não voo”). Além de aguçar a curiosidade sobre a ferramenta tecnológica, o jogo serviu para exercitar a imaginação e o conhecimento das crianças.

O diretor-geral do Campus Urupema, Jorge Luiz Pereira, conta que os professores do campus passaram por capacitação para usarem as lousas digitais nas aulas, o que deve passar a ocorrer em breve.